• Lei anticorrupção entra na pauta de pequenas empresas;
  • Três empresas enquadradas na Lei Anticorrupção são condenadas a pagar multas;
  • Interrompida entrevista de bilionário que quer denunciar corrupção na China.

Lei anticorrupção entra na pauta de pequenas empresas;

Uma empresa de Santa Catariana, a Gomes da Costa, processadora de pescados, é um exemplo de pequena e média empresa que dispõe de um programa de compliance.
A empresa conta com um manual anticorrupção e um funcionário dedicado exclusivamente ao compliance. Toda vez que acessam seus computadores, os funcionários recebem uma mensagem sobre conduta e transparência no ambiente de trabalho e treinamentos periódicos em vídeos.
Como a Gomes da Costa, há outras empresas de porte semelhante que estão adotando boas práticas de conformidade. Essa tendência foi revelada por uma pesquisa global feita pela seguradora Zurich, que demonstrou que a preocupação dos pequenos e médios empresários com a corrupção vem crescendo no Brasil e no mundo.
No entanto, no Brasil, as pequenas e médias empresas têm um desafio ainda maior neste momento: a escassez de crédito devido à crise econômica.
Apesar disso, constata-se o aumento da preocupação com compliance, não apenas anticorrupção, mas também contra a lavagem de dinheiro e fraude em geral, já que muitas empresas dessa categoria foram usadas para viabilizar desvios em casos da Lava-Jato.

Link da notícia

Três empresas enquadradas na Lei Anticorrupção são condenadas a pagar multas

Três empresas foram condenadas pela Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais a pagar multa de cerca de 600 mil por fraude no pregão eletrônico para a construção e instalação de academias ao ar livre.
Trata-se do primeiro processo administrativo de responsabilização instaurado no Estado com base na lei 12.846, ou lei da empresa limpa.
As autoridades encontraram provas de conluio entre as empresas, com ajuste prévio de valores.

Link da notícia

Interrompida entrevista de bilionário que quer denunciar corrupção na China

Um bilionário chinês que ameaça revelar a corrupção envolvendo altos funcionários e executivos chineses teve sua entrevista interrompida numa emissora americana depois que a China emitiu um mandado de prisão internacional por meio da Interpol.
A entrevista terminou de modo abrupto quando Guo Wengui começou a detalhar as suspeitas envolvendo líderes do Partido Comunista Chinês, incluindo o presidente do país, Xi Jinping, e aliados próximos. O apresentador justificou a interrupção de modo evasivo.
O entrevistado, Guo Wegui, afirmou que o alerta emitido pela Interpol tinha como objetivo pressioná-lo a desistir da entrevista explosiva.

Link da notícia

Se é verdade que as pequenas e médias empresas têm um desafio ainda maior neste momento: a escassez de crédito devido à crise econômica, é também verdade que existem formas simples de implementar um programa de Compliance na sua empresa! Fiquem de olho no canal, em breve publicaremos vídeos de como uma micro e pequena empresa podem ter um programa de compliance! O que achou das condenações utilizando a lei da empresa limpa, ou lei anticorrupção? O que achou do fato de uma entrevista que exporia funcionários públicos cineses ter sido interrompida durante sua execução por causa da expedição de um mandado de prisão contra o entrevistado? Deixem ai seus comentários, não se esqueçam de curtir esse vídeo e assinar o canal.

Se achar que alguma notícia merece destaque, ou se quiser ver algum tema tratado com maior profundidade mande sua sugestão para: news@icomply.com.br

icomply-wp

View all posts

Add comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *