Bancos e instituições financeiras agora são obrigados a disponibilizar um canal de denúncias a seus colaboradores e terceiros. Tal obrigação foi prevista pela resolução do Conselho Monetário Nacional em abril deste ano e passou a valer a partir do final de julho.
A regra impõe às instituições financeiras a designação de profissional responsável por receber as denúncias e as encaminhar às áreas responsáveis.
Este profissional, que terá sua confidencialidade garantida, elaborará um relatório semestral sobre o canal e o submeterá à aprovação do conselho de administração ou diretoria da instituição.
O Banco Central terá acesso ao documento pelo prazo de 5 anos.
Vale lembrar que no início deste ano, o Governo Federal, por meio da CGU, impôs a todo órgão público ou privado que recebesse fundos da União, a obrigatoriedade de manter um canal de denúncias EFETIVO.
Link da notícia

COMENTÁRIO:
No comentário da primeira notícia do News de hoje, falamos sobre dois ramos: o da construção pesada e o do agronegócio.

Esta notícia trata do setor financeiro.

Será que ainda não está claro que não haverá nenhum ramo, nenhum setor do mercado no qual as empresas que nele atuam, poderão se dar ao luxo de não possuir um programa de Compliance EFETIVO?

Percebam que interessante: o setor financeiro é um setor que já conhece o Compliance a mais tempo que os demais. E, ainda assim, na atual conjectura, alguns pontos de melhoria estão ocorrendo.

Mais que isso: estão ocorrendo de forma compulsória!

Por que o canal de denúncia é uma ferramenta tão importante a ponto de ser mandatória, agora, para o setor financeiro?

Muito simples: há diversos atos de não conformidade que as pessoas podem ver e que não são, necessariamente, atos criminosos aptos a movimentar a ação estatal.

Nessa situação, ou seja, diante do desinteresse estatal por referidos atos… a quem podemos reclamar ou pedir modificações?

Apenas à própria empresa!

Agora é impossível que os dirigentes das empresas estejam acessíveis a todas as pessoas, fornecedores, terceiros e interessados que queriam lhe contar atos de não conformidade.

Diante dessa realidade: a empresa disponibiliza um canal, com a possibilidade do anonimato, no qual ela poderá receber de quem quer que seja, exatamente essas informações que, em tese, ela quer saber e coibir.

A resistência da existência de um canal de denúncia, denota sim um atraso de compreensão do momento no qual o Brasil está inserido.

Qual a sua opinião?

Se quiser saber mais sobre Compliance, programas de integridade, ética e ações anticorrupção assinem o canal.

Se achar que alguma notícia merece destaque, ou se quiser ver algum tema tratado com maior profundidade mande sua sugestão para: news@icomply.com.br

A iComply possui uma ferramenta, que é um aplicativo para smartphone, para sua empresa manter o seu programa de Compliance de forma efetiva e a um baixo custo.

Se quiser saber mais, assine nosso canal sobre Compliance, integridade e ações anticorrupção: youtube.com/icomplyapp

icomply-wp

View all posts

Add comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *